Sindicatos Médicos:

Você não está logado
Entrar | Cadastrar

FENAM comenta atitude do Governo em abrir mais vagas em cursos de Medicina




A Federação Nacional dos Médicos, diante do anúncio do Governo em criar cerca de 2,5 mil novas vagas em cursos de medicina, afirma que o ensino médico não pode ser mercantilizado. Para o presidente da entidade, Cid Carvalhaes, a medida não solucionará o problema da fixação dos profissionais em áreas de difícil provimento e ainda prejudicará a formação médica e, consequentemente, a assistência de qualidade à população.

"A FENAM já deixou muito bem claro que é contra ao aumento inescrupuloso nas vagas de medicinas existentes no país ou criação de novas faculdades, sem as condições mínimas necessárias. A experiência mostra que os profissionais mal formados têm tendência de aprofundar esta má formação no curso da atividade profissional e quem pagará o preço será a população brasileira. Não se pode mercanitilizar o ensino, às custas da má formação dos profissionais "

Há anos, a entidade advoga que o problema no Brasil não é falta de profissionais. Os médicos não irão para o interior se não tiverem uma Carreira de Estado, plano de carreira e condições mínimas de trabalho. Formar médicos indiscriminadamente, irá apenas saturar, ainda mais, o mercado dos grandes centros.





Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 1059 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Comentários


Deixe seu comentário






Digite as letras que você vê na imagem ao lado:



Interatividade
Nossos canais na Web 2.0
 
Informativo eletr�nico
Cadastre-se e receba por email as not�cias da









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação |
© Federação Nacional dos Médicos - FENAM (2008)